A ação tapa buracos se estende por cinco critérios técnicos, o primeiro é o reenquadramento, isto é a retirada das bordas que já estão fragilidades por causa da ação de carros e chuvas. Em seguida acontece a limpeza, a retirada dos restos de materiais que sobraram da borda, logo após é aplicada a primeira camada da emulsão asfáltica, um produto derivado do petróleo, conhecido cientificamente como cm 30.

Como complemento aplica-se o agregado que neste caso está sendo usado a brita, e em seguida é feita a sua compactação para que futuramente ela não venha a ceder. Por fim aplica-se novamente a emoção asfáltica assim impermeabilizando a base, impossibilitando que o trabalho se destrua facilmente  com a ação das chuvas. E para finalizar aplica-se areia que é a misturada com emulsão asfáltica tornando-se uma substância semelhante a do asfalto.
Esta técnica é bastante utilizada em países como os estados unidos e a europa.

Aqui no Brasil a técnica é recente, pouco conhecida, mas já  e é muito utilizada na cidade de  tocantinópolis no estado do Tocantins, onde representantes da administração municipal foram buscar esse conhecimentos e resolveram instalar a técnica em Grajaú.

O primeiro local a receber esse trabalho são as vias em torno da rodoviária do município. Um alívio para as pessoas que utilizam essas vias diariamente.
Vale ainda ressaltar que todos os equipamentos utilizados nesta operação são de propriedade do município configurando assim uma mini fábrica de asfalto frio que estará funcionando sempre que for necessário.

Informações: Superintendência de Comunicação