O Balneário Canecão, que fica no centro da cidade de Grajaú, serviu de palco e deu nome para o festival de músicas que reuniu artista de várias cidades do estado. O Segundo Fest Canecão agregou boa música, diversão e mais ainda, conseguiu reunir famílias num espaço antes depreciado, hoje resgatado e bem frequentado. Foram dois fins de tarde e início de noite de verdadeiros shows de talentos. Onze artistas cantaram e deram trabalho para os jurados chegarem a um veredito final.

Antes das apresentações o secretário municipal de administração, Ricardo Arruda, acompanhado dos secretários municipais de esporte, José Jairo; de cultura, Rosa Soraida; prefeito Mercial e da primeira dama Lenilce, abriu oficialmente o festival e o Mestre de Cultura João da Cruz Atenas cantou o Hino da Cultura Maranhense.

O Segundo Fest Canecão troféu Bebé, é uma homenagem ao artista grajauense que deu muita alegria ao seu povo e que ao partir deixou muitas saudades. O secretário de cultura de Montes Altos, Curimã Moraes, que também é tio do saudoso Bebé, prestigiou o evento, junto com ele o irmão de Bebé, Arialdo e também o jovem Ramom, que é filho de bebé.

No primeiro dia de apresentações o primeiro a cantar foi Edvaldo Pereira, a música de sua autoria, Sem Te Não Sou Ninguém. Na sequência Benedicto Lima, interpretou Tô Que Tô, música de sua autoria. O jovem Tony Gambel, da cidade de Montes Altos cantou a canção com o título Música Negra, de autoria dele. Santa rosa, essa foi a música defendida por Ricardo Bondinho, também composição do próprio interprete. E fechando as apresentações de sexta feira, Rubens Natureza, cantou O Sertão, letra composta por ele. No primeiro dia de audições já deu para os jurados sentirem que não seria fácil. Um dos incentivadores do evento é o empresário e músico Marcos Cortez, que presenteará os três primeiros colocados com a gravação de um CD.

O último dia de audição reuniu no palco seis interpretes. Nelson Bomba, cantou Bethovem, Cachorrinho Legal. O segundo a se apresentar foi Ana Paula Bastos, com a música autoral, Filha de Iemanjá. A terceira apresentação foi a do jovem Rodrigo Pereira, com a canção de sua autoria, Vaqueiro Poeta. Minha Vitória, foi o título da quarta apresentação, interpretada por Mestre Atenas. A penúltima apresentação da noite foi Lena Garcia, que cantou a música D´Águas, composta por Clauber Martins. E fechando o Fest Canecão, o grajauense Nilton Nogueira, que cantou Nobre Amigo. Enquanto os jurados contabilizavam as notas, a Grajauense, Zélia Grajaú, com sua bela e marcante voz, presentou os amantes da boa música com belas melodias.

Notas somadas chegou a hora de conhecermos os três grandes vencedores, do Segundo Fest Canecão, Troféu Bebé.
Em terceiro lugar ficou Ricardo Bondinho, em segundo Ana Paula Bastos e o grande vencedor foi Nilton Nogueira, com a música que homenageou o próprio homenageado e que deu nome ao troféu, Bebé. O prêmio por aclamação popular foi para Rubens Natureza.

Informações: Superintendência de Comunicação